Isso porque empreendedorismo e finanças caminham de mãos dadas. Sendo assim, o sucesso empresarial passa, necessariamente, pela organização financeira. Além disso, como MEI, você precisa ser um “faz-tudo”.

Ou seja, além de entender do nicho de atuação, precisa atender os clientes, resolver problemas corriqueiros e observar as finanças.

Dessa maneira, muitos microempreendedores individuais não têm sucesso justamente por não compreenderem o básico dos conceitos financeiros.

Então continue a leitura para compreender os conceitos financeiros que vão te ajudar a administrar seu empreendimento da melhor forma possível.

Qual é a importância dos conceitos financeiros para o negócio?

Em suma, diversos empreendedores registram um CNPJ, mas não conhecem os conceitos financeiros básicos.

Isso porque registrar uma empresa MEI é fácil. Uma vez que o próprio empreendedor realiza todo o procedimento online, de maneira simples e prática.

Além disso, as obrigações do MEI com os órgãos governamentais também são simplificadas. Ainda assim, existem microempreendedores que não conseguem se manter por muito tempo no mercado.

De acordo com uma pesquisa feita pelo Sebrae, três em cada 10 MEIs encerram suas atividades em até cinco anos. Mais um ponto importante é a proporção de falências, que segundo a pesquisa, é maior entre os microempreendedores individuais do que entre empresas maiores.

Assim, o principal problema está no preparo do empreendedor. Ou melhor, na falta dele.

Por isso, é tão importante você conhecer os principais conceitos financeiros que afetam a gestão da sua empresa.

Conceitos financeiros que todo MEI deve saber

Antes de mais nada, você não deseja fazer parte das estatísticas mostradas acima, certo?! Então, confira a seguir os principais conceitos financeiros para administrar bem o seu negócio.

Ativo: São os bens e direitos de uma empresa. Ou seja, os ativos formam o seu patrimônio e podem ser convertidos em dinheiro quando colocados à venda.

Passivo: Já o passivo é composto por saldos e obrigações do negócio. Sendo assim, o passivo traz os itens que geram custo e, quando descontados dos ativos, estabelecem o patrimônio líquido da empresa.

Balanço: O balanço é uma tipo de demonstrativo financeiro feito para listar lado a lado todos os ativos e passivos da sua empresa.

Despesa: Em suma, são os gastos que não têm relação direta com a atividade-fim da empresa. Por exemplo, conta de telefone e material de escritório.

Custo: Agora, esse é o tipo de gasto relacionado diretamente à produção de bens ou à prestação de serviços. Por exemplo, o dinheiro usado para comprar matéria-prima ou ferramentas.

Custo fixo: Trata-se dos gastos que se repetem todos os meses, não tendo relação com o volume de produção ou serviços prestados. Caso você pague aluguel na empresa, esse é um tipo de custo fixo.

Custo variável: Assim como o nome sugere, são os gastos que variam segundo o volume de produção ou serviços prestados. Dessa maneira, o dinheiro direcionado à compra de insumos é um tipo de custo variável.

Capital de giro: Por sua vez, o capital de giro é o recurso (normalmente em dinheiro) necessário para o funcionamento da empresa. Assim, todo negócio necessita de caixa para se movimentar, seja comprando e vendendo mercadorias ou prestando serviços.

Capital social: O capital social é o investimento inicial realizado pelo empreendedor para abrir a empresa. Isso inclui os aportes em dinheiro, aquisição de bens, locação de espaço, entre outros fatores.

Receita bruta: Estamos falando da quantidade de dinheiro que realmente entra no caixa em determinado período. Vários empreendedores usam os termos receita e faturamento como sinônimos, mas existem diferenças. Isso porque o faturamento é tudo que foi faturado, mas não necessariamente recebido. Enquanto a receita é tudo que foi, efetivamente, recebido.

Faturamento: Em suma, é o resultado da soma de todas as faturas. Ou seja, das vendas faturadas.

Lucro: É o dinheiro que sobra depois de descontados todos os custos e despesas do faturamento obtido. Além disso, ele pode ser dividido em lucro líquido e lucro bruto.

Lucro Bruto: Quando falamos de lucro bruto estamos considerando a soma de todas as receitas, descontando os gastos de produção ou prestação de serviços (despesas operacionais).

Lucro Líquido: Já o lucro líquido é o resultado da soma de todas as receitas, menos o valor pago em taxas e impostos.

Margem de lucro: Trata-se do lucro medido em percentual. Dessa maneira, funciona como um indicador de lucratividade.

Margem de contribuição: Esse é o indicador financeiro que revela se existe na empresa receita suficiente para arcar com custos e despesas e, ainda assim, gerar lucro.

Limite de faturamento: É o valor máximo que o MEI pode vender (faturar) dentro do exercício fiscal, ou seja, durante um ano. Atualmente, o limite de faturamento do MEI está em R$81 mil.

Contabilidade: Área responsável por estudar, registrar e interpretar os dados financeiros e econômicos de empresas e pessoas. Dessa maneira, serviços contábeis geralmente são prestados por escritórios de contabilidade.

Além disso, MEI não precisa de contador, porém se beneficia desse auxílio.

Escrituração contábil: Em suma, esse é o registro de todas as movimentações econômico-financeiras feitas por uma empresa. Ou seja, todos os lançamentos de entrada e saída de caixa, compras a prazo e empréstimos devem ser lançados em ordem cronológica.

Lembrando que o MEI não é obrigado a fazer escrituração contábil. Porém, deve registrar suas movimentações em um relatório mensal de receitas. Sendo assim, vale usar uma planilha de controle financeiro como apoio a essa tarefa.

Ciclo financeiro: Ciclo financeiro é o prazo entre a compra de insumos e o recebimento de clientes pelo produto vendido ou então serviços prestados.

Caixa: No geral, em uma empresa, o caixa é o valor que a empresa possui, seja em espécie ou nos bancos.

Fluxo de caixa: Já o fluxo de caixa são as entradas e saídas de dinheiro do caixa. Portanto, quando realizado corretamente, proporciona uma visão transparente da situação financeira da empresa. Bem como possibilita projeções sobre o futuro do negócio.

Orçamento: O orçamento é o plano financeiro que prevê o futuro da empresa. Assim, ele projeta receitas, custos e despesas para um determinado período de tempo e permite, assim, direcionar melhor os investimentos do negócio.

Contas a receber: São os valores previstos para entrar no caixa da empresa durante um período, podendo ser oriundos de vendas de produtos, serviços prestados ou outros ativos.

Gestão de estoque: Nada mais é do que o controle da mercadoria considerando prazo de validade dos produtos, obsolescência e demanda dos clientes. Assim, uma boa gestão de estoque é essencial para o funcionamento de todo negócio.

Ponto de equilíbrio: O ponto de equilíbrio representa o momento onde a empresa consegue equiparar receitas e despesas, zerando a sua operação. Dessa maneira, não existe lucro, nem prejuízo – e o gestor sabe quanto precisa faturar para não ficar no vermelho.

Depreciação: Trata-se da perda de valor de um determinado bem em razão de fatores como uso, tempo ou então desvalorização de mercado.

Exercício fiscal: Período compreendido entre o início e o fim de um ciclo contábil, onde os relatórios são concluídos e entregues para os órgãos competentes. Em relação ao MEI, após o encerramento do exercício fiscal, é necessário fazer a entrega da declaração anual de faturamento à Receita Federal.

No Brasil, o ano fiscal coincide com o ano do calendário: 1º de janeiro a 31 de dezembro.

Pró-labore: Em suma, é uma espécie de remuneração geralmente adotada por sócios de empresas. Cujo significado é “pelo trabalho”.

Retirada: Por fim, a retirada de lucro dos sócios é uma forma de remuneração. Assim, a diferença para o pró-labore é que, sobre a retirada, não incide Imposto de Renda, nem contribuição previdenciária.

Conclusão

Sendo assim, entender os principais conceitos financeiros e colocá-los em prática é uma maneira de ter sucesso no seu negócio.

Além disso, existe muita informação de qualidade para ajudar você na gestão do seu negócio. Caso você queira entender mais sobre o universo do microempreendedor individual, entre em contato conosco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre em contato e faça um Orçamento

Converse com nossa equipe e descubra como podemos impulsionar o sucesso da sua empresa!

Trabalhe Conosco

Gostaria de se juntar ao time Vision? Preencha o formulário abaixo e envie seu currículo.

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você informa estar de acordo com essa utilização. Para visualizar nossa política de privacidade clique aqui.